segunda-feira, 8 de agosto de 2011

Eu, eu e eu



Eu já fiz muito e, por isso, estou cansada, preciso de momentos de repouso, preciso de viver só para mim e para quem já lutou por mim.
Há uma coisa que eu já não utilizo há bastante tempo, mas que vai ter que voltar a sair das minhas entranhas, porque não estou a lidar bem com isto. Vou voltar a soltar e a dar liberdade ao meu orgulho. Está na hora de o meu amor-próprio voltar a ser elevado ao mais alto nível e ter a maior importância. Estou desiludida, não vou mentir, mas isso não vai fazer com que deixe de ser feliz, como disse, é só uma oportunidade para o meu orgulho sair à rua, e para veres que eu também o tenho. Depois disto, os meus olhos vão passar a ver as coisas de forma diferente, vão deixar de te ver como personagem principal, porque, agora, a protagonista desta história sou eu. Vou olhar para tudo, e a primeira coisa que será reflectida nos meus olhos serei eu. Não posso dizer que vou deixar de pensar em ti, vou apenas tentar com que isso não aconteça com tanta frequência e tanta intensidade. Talvez os meus olhos olhos percam algum brilho, mas sei que ele vai acabar por voltar, mesmo que não queiras ser tu a pôr-lo lá novamente, serei eu a fazê-lo.
Por vezes, é preciso nos afastar-mos de alguém para que sintam a nossa falta e para que percebam que realmente precisam de nós. Espero que tu também chegues a essa conclusão.

8 comentários:

Sarafaela disse...

Por mais que custe, só quando perdemos alguém na nossa vida é que percebemos a falta que essa pessoa nos faz .

Catarina de Sousa disse...

Olhões :o

Sarafaela disse...

também é verdade, ás vezes não é necessária a perda, basta uma simples ameaça e tudo pode mudar

IF* disse...

és sim, é que nem venhas XD

joanarocha disse...

muito obrigada (:

Débora disse...

gostei muito, estou a seguir *

Sarafaela disse...

pois muda, é pena é nós termos que ameaçar as pessoas que amamos para elas se aperceberem que nós lhes fazemos falta

Débora disse...

ora essa (: