quinta-feira, 6 de outubro de 2011

Diálogo (1)




Eu: Porque é que és tão difícil comigo, tão dura?
Ela: Sou? Eu não te dou coisas boas?
Eu: Sim, muitas, mas sempre que as coisas estão muito bem, tu voltas a estragar tudo.
Ela: Eu sei, mas isso não te faz bem?
Eu: Achas mesmo? Eu choro, logo não estou bem. Achas mesmo que isso me faz bem? Achas que querer esquecer tudo é estar bem?
Ela: Mas depois tu ficas sempre bem.
Eu: Sim, fico. Mas sabes o quanto peno, o quanto me vejo e desejo para conseguir isso?
Ela: Sim, tenho a perfeita noção disso, porque achas que te prego estas partidas?
Eu: Não faço ideia, talvez porque sejas cruel para mim e te dê gosto ver-me mal.
Ela: Não, sabes o que me dá gosto e prazer?
Eu: O quê?
Ela: Ver-te  a ergueres-te. Fazes isso de uma forma tão graciosa, como um cisne, que com toda a glória abre as suas asas. É tão bonito e aprazível ver-te a fazer isso, tão magnífico, tão singular, que não me canso…
Eu: Não te cansas? Mas eu sim, mal descanso entre estes intervalos.
Ela: Eu sei, mas eu estou a ajudar-te.
Eu: Estás? Não vejo como!
Ela: Eu digo-te. Podes não te aperceber disso, mas de cada vez que cais e te ergues, voltas mais forte, e é por isso que eu te admiro.
Eu: Obrigada, mas podias fazer uma pausa, não?
Ela: Eu vou fazer, na altura certa.

Descobriste quem é a “ela”?

8 comentários:

Ana disse...

Adorei!

joanaf disse...

fantástico está este e o outro :o tao lindos mm. QUE FRASE LINDA!

allmota disse...

nao esta como queria :s

letícia* disse...

siim, amei mesmo o blog. tens bastante jeito zx

Juliana Dee disse...

Own *_* Que lindo! Amei o seu blog e seus escritos, já estou te seguindo! Enormes beijos :D

sú • disse...

ADOREI :')

joanaf disse...

a que tu disseste no comentário

RaquelSousa . disse...

- gostei. *