sábado, 28 de janeiro de 2012

Livrai-me do mal, amén.




Está na altura, na altura de mandar tudo o que me faz mal dar uma volta até ao inferno, para saberem onde e como vivi enquanto estavam comigo. Se é difícil? Não, mas também não é fácil, porque vou passar a ter muito mais dificuldade em gerir o tempo a disponibilizar a tudo o que me faz feliz. Pensei muito sobre como os outros se iriam sentir se os magoasse com algo, mas a verdade é que quando me magoaram, ninguém se importou com isso. Quis dar sempre o meu melhor, mas deram-me o seu pior em troca, e eu aceitei, mas agora não me conformo mais com isso. Dei-te o meu melhor? Então dá-me o teu também, nem que seja pior do que o meu péssimo. Se vou ter saudades deste meu “eu”? Sim, é provável, mas costumam dizer que não se sente falta do que nos fez mal, espero que assim seja. Cansei de fazer de conta que aceitava as coisas, chega. A partir de agora, sim, vão ter (todas as) razões para me chamarem arrogante (ou talvez não), porque vou começar mesmo a sê-lo, para quem não me trata como mereço, para quem não me ama, para quem me usou, para quem me odeia, dando a estes últimos ainda mais motivos para o fazerem. Desculpem fofinhos, mas estou completamente exausta de que me deitam ao chão, me calquem e que ainda me obriguem a levantar-me sozinha. Desculpem, mas não quero saber se gostam de mim ou se me odeiam, não haverá meio-termo.
Desculpem, mas não vou mais aceitar os vossos erros e desculpá-los sempre. Desculpem, mas não quero continuar a ser brinquedo, chegou a vez de ser eu a brincar. Desculpem-me por ser eu, se quiserem, não preciso das vossas opiniões ou assentimentos.

5 comentários:

Sofia Moreira disse...

muito obrigada :) és linda!

Sara'C disse...

por vezes precisamos de mudar para nos sentir-mos melhor.

; Beatriz disse...

obrigada linda :)

J disse...

Acho que fazes muito bem. Há alturas em que devemos atirar a toalha ao chão e dizer basta. Força*

Juliana Skwara disse...

Uau, amei seu texto. Vc é muito verdadeira e escreve bem. Amei a música, grandes beijos. Volte sempre!