domingo, 6 de maio de 2012

Carta



“Estás-me a fazer pensar cenas que eu não quero, lembrar coisas que eu não quero, mas tem de ser. Amanhã pode ser meu último dia de vida, então essa é a minha carta de despedida, sentida. Caso eu vá sem avisar, antes eu queria que soubesses como eu te agradeço pelos momentos que estiveste do meu lado. Eu sei que eu sou difícil, sou complicada, porque quero tudo do meu jeito (…) Pensa em mim, pensa em nós. (…) Pensa no pouco que eu fiz ou no que eu podia ter feito, pensa em mim com algum respeito e guarda isso no teu peito e assim eu continuo viva. (…) Diz que eu era uma gaja positiva, diz ao people que eu vim do nada, mas sempre de cabeça erguida (…), e que Deus tem um lugar para mim no Paraíso. Pensas em mim, eu continuo viva, é só isso que eu preciso. E quando a saudade bater, ouve esse som e pensa em mim. E assim quando eu morrer, vou continuar, vou continuar viva dentro de ti.”