quinta-feira, 11 de agosto de 2011

Figura(s) de estilo



Estes últimos dias têm sido tumultuosos, têm sido como o mar em dias de tempestade. Eu preciso tanto de ti, mas tu não estás, eu preciso de te abraçar, mas isso é impossível, eu preciso de voltar a sentir-me protegida por ti. Se pudesse, escolhia os momentos que queria viver, isso evitaria que me magoasse, mas não. Sou obrigada a vive-los todos, sem poder saltar um sequer, é como se alguma força superior gostasse de me ver no fundo, e o facto de eu lutar para voltar à tona lhe dê prazer, no entanto, para mim, de aprazível isso não tem absolutamente nada. Também é nestes dias em que as pessoas resolvem chatear-se ou discutir comigo e, como seria de esperar, não obtêm a melhor reacção. Digo tudo o que me apetece, tudo o que me vai na alma, mas depois disso arrependo-me de o ter feito. Por outro lado, se não o tivesse feito nunca poderiam saber como me sinto. Também sei que muitas vezes não sou justa, digo coisas a pessoas que não merecem ouvi-las. Por culpa dos "amigos", os amigos saem prejudicados. Já não me assusta a frase "tu é que sabes, tu é que ficas a perder". Já perdi muitas coisas nesta vida e, embora não tenha conseguido preencher aquele espaço, lidei e continuo a lidar de uma forma que me faz sentir bem, pelo menos bem o suficiente.
As ameaças, os sarcasmos e as ironias comigo não resultam. Porquê? Porque prefiro viver à base de eufemismos.

9 comentários:

catarina disse...

gostei, sigo*

Cinda disse...

Adoro sempre ler os teus textos, sao muito bons! (:

Vanessa Santos disse...

obrigada querida, adoro o texto!

Sofia Moreira disse...

adorei :)

» ana almeiida disse...

adoro o blogue vou seguir segue o meu tambem se gostares *.*

Débora disse...

já sim querida :)
adorei o que escreves-te! *

filipa margato disse...

pois não :c

Sofia Moreira disse...

sim, mesmo e estou a seguir :)

Daniela de Sousa disse...

adorei :)
sigo*